Decat apreende, mas resgate só acontece através da ONG Abrigo dos Bichos, que aceitou receber 40 cães - ONG Abrigo dos Bichos

Decat apreende, mas resgate só acontece através da ONG Abrigo dos Bichos, que aceitou receber 40 cães

castracao-de-cachorro-e-gato
Castração de cachorro e gato – confira 10 benefícios!
agosto 20, 2019
resgate ms 040
ONG patrocina poder público ao tratar e custear 34 animais de resgate
junho 2, 2020

Foram apreendidos 44 cães de grande porte em situação evidente de maus-tratos, que eram comercializados para caça. Os valores variavam de R$ 500 a R$ 2 mil

Na manhã de segunda-feira (23) 44 cães de grande porte, misturados da raça Foxhound foram apreendidos em uma fazenda na MS-040. A ONG Abrigo dos Bichos recebeu diversas denúncias e acionou o DECAT (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Ambientais e de Atendimento ao Turista). O Delegado Maércio Alves Barbosa se prontificou a investigar.

No entanto, o resgate de 40, dos 44 cães, só foi possível graças ao acolhimento e total abertura da ONG, que se responsabilizou por receber os animais. Uma cadela recém-parida e seus 8 filhotes ainda estão no local. O CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) esteve presente, vacinou e microchipou os cães no ato da apreensão.

O capataz da fazenda, Joilson Ferreira, diz não reconhecer as denúncias. Ele cruzava raças para “melhoramento genético” e vendia os filhotes por valores que iam de R$ 500 a R$ 2 mil.

Maria Lúcia Metello, presidente-fundadora da ONG há 18 anos, afirma “Precisamos acabar com esse hábito antigo das pessoas, que se acostumam a ver maus-tratos a animais na própria família e acham que é algo comum”.

Atos que configuram maus-tratos são crimes, segundo a Lei 9.605, publicada originalmente em 12 de fevereiro de 1998, e fazem parte da Lei de Crimes Ambientais. O Abrigo espera que órgãos de fiscalização e Justiça Federal façam valer as penas previstas e punam os criminosos.

Segundo as voluntárias Larissa Boni e Bruna Zampieri, quando chegaram no local de triagem os animais estavam extremamente famintos e com sede. Os 40 animais comeram com voracidade cerca de 30kg de ração. “Eles estão muito magros e visivelmente desnutridos, as imagens provam que o corpo seco dos cães não tem nada a ver com a raça, mas sim com a fome que devem passar há dias!”.

“A situação dos cães é visivelmente deplorável e não acreditamos que sequer recebiam cuidados,” diz Diogo Zampieri, diretor de comunicação da ONG. Nas imagens é possível ver o estado do local onde ficavam os animais, sujos, ao sol e amarrados.

O destino dos animais ainda é incerto, uma vez que as investigações, assumidas pela DECAT através do delegado Maércio Barbosa, ainda estão em processo inicial.

Faça uma doação para ajudar a ONG Abrigo dos Bichos a cuidar dos 40 cães!






Acompanhe essa história em nosso Instagram:

0